Cultura de boas práticas nas empresas

A Protenge, como fabricante de EPI há mais de 30 anos e provedora de soluções para a efetiva proteção dos trabalhadores, lança agora a idéia de se adotar uma cultura de boas práticas em todas as empresas para que sejam mitigados os acidentes.

Levando-se em conta os estudos de acidentes analisados do ponto de vista do ser humano, procuramos verificar o porquê da ocorrência do acidente e de qual forma ele ocorreu.

Nestas análises foram detectados, inicialmente, que antes da ocorrência de um acidente há, um enorme número de desvios ou descumprimentos de regras e procedimentos, seguido de um número menor de quase-acidentes, tidos aqui como aqueles que por pouco não se transformaram em acidentes.

A conhecida Pirâmide de DuPont nos revela que Acidentes devido ao comportamento e atitude das pessoas chega a 96% e 4% são devido a fatores diversos.

 

Ora, com uma participação tão expressiva assim a questão da resiliência sempre é suscitada. Por mais que se invista nas condições ambientais do trabalho, através de métodos como “5s” e políticas de housekeeping, esse esforço está voltado para apenas 4% das causas.

Por isso a idéia de “comportamento seguro” deve ser adotada, pois mesmo que as empresas ofereçam aos trabalhadores o EPI (Equipamento de Proteção Individual) correto e instalações com os devidos EPCs (Equipamentos de Proteção Coletivo), se o colaborador não utilizar tais recursos, tudo poderá ser perdido por práticas incorretas.

Quebrar paradigmas ou romper a resiliência de alguns colaboradores é justamente a principal questão para que novos conceitos sejam adotados e praticados por todos. 

As condutas devem estar cada vez mais alicerçadas no conhecimento do risco, na habilitação dos trabalhadores na elaboração de um plano de execução das tarefas e acima de tudo os colaboradores devem ter “ATITUDE

A ATITUDE é a alma do “comportamento seguro”, todos os colaboradores devem ser multiplicadores das ideias de segurança, implementadas pela empresa. Caso algum colega tenha “esquecido” de usar qualquer EPI é dever dos demais colegas alertá-lo e aguardar até que ele esteja devidamente seguro para iniciar a tarefa. 

Todos os dias antes de se iniciar a jornada de trabalho, verificar:

  1. Se as vestimentas estão íntegras, sem rasgos, sem graxa ou algum resíduo, combustível impregnado, verificar se os velcros não grudam mais, sem falta de zíper ou botões.
  2. O gestor ou coordenador da CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) ou SESMT (Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho) deverá ter o controle sobre os CAs (Certificados de Aprovação), observando a data de validade e se está contemplado neste CA a proteção aos riscos existentes na atividade. Isto implicará diretamente nas obrigações do eSocial daqui para frente.
  3. Certificar-se de que as ferramentas e máquinas estão em ordem e próprias para serem operadas regularmente.
  4. Procure guardar todos os EPIs de forma correta, após sua utilização. Isto assegurará o bom estado e funcionamento para utilizar novamente.
  5. Procure observar a ergonomia enquanto executa uma tarefa. A postura correta evita fadiga e danos maiores ao organismo.
  6. Manter os ambientes onde está trabalhando limpo e organizados.

Para todos os gestores, reafirmamos que somente os treinamentos periódicos e reciclagens programadas podem promover a conservação do comportamento seguro.

Nossos agradecimentos à todos os leitores e adeptos das boas práticas.

#SegurançaDoTrabalho #DiaNacionalDaSegurançaDoTrabalho #EPIComEngenharia #ProtengeEPI #VestimentaContraCalor #ProteçãoContraCalor #VestimentasEPI #ProArc #ProHeat #Prokitchen #ProMelt #ProHandy #BoasPraticas #protenge.com.br #Proteção #UniformeProteção #wwww.protenge.com.br